domingo, 26 de fevereiro de 2012

Início do campismo no Pinhal do Rei

            Não havendo parques de campismo no Pinhal do Rei até cerca 1950, é por essa altura que alguns grupos de campistas federados começam a fazer acampamentos em S. Pedro de Moel.
            Actualmente S. Pedro de Moel possui dois parques de campismo: o Parque de Campismo da Orbitur, inaugurado no ano de 1961 e o Parque de  Campismo do Inatel, inaugurado em 1982.

Campismo no Pinhal - anos 50 do séc. XX

Campismo da Orbitur - zona de tendas e caravanas - anos 80 do séc. XX

Campismo da Orbitur - zona de bungalows - anos 80 do séc. XX

(Fotografias In: “Subsídios para uma Monografia de São Pedro de Moel”,  Artur Neto de Barros)

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Engenhos de serrar movidos a força hídrica

            Sem grandes referências, a data da construção destes engenhos não está bem definida, dizendo-se, por um lado, que foram mandados construir no tempo do Marquês de Pombal, e por outro, a partir de 1790, por ordem do Ministro Martinho de Melo e Castro que teria dado ordem para se estudar a sua implantação na Mata. Sabe-se porém que, pelo menos, existiram no Pinhal 2 serrações movidas a água.
            Uma delas estava situada na Ponte Nova, à beira do ribeiro, tendo o seu complicado mecanismo e os defeitos na construção dos diques e do açude, acarretado avultadas despesas. Também o fim desta serração não está bem definido dizendo-se, por um lado, que foi destruído por um incêndio em 1806 e, por outro, que trabalhou até à invasão francesa (cerca de 1810), sendo ainda depois disso reconstruída e trabalhado mais algum tempo.
            Outra das serrações deste tipo situava-se em S. Pedro de Moel (talhão 304), aproveitando a água do pequeno Ribeiro do Olho.
            A exigência de uma muito grande força de água para a mover era contrariada pela construção, também defeituosa, da própria máquina e dos canais de acesso da água.
            Estas antigas serrações dos Serviços Florestais foram mais tarde aproveitadas para nelas se montarem moinhos para obtenção de farinha, aproveitando também a força hídrica. A sua exploração foi entregue a particulares.
            O moinho de S. Pedro de Moel foi demolido em 1967 para permitir a construção dos acessos às piscinas da Promoel, a construção de instalações sanitárias e balneários e do café da praia.

 
Construção das piscinas - ano de 1966

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

O antigo Casino de S. Pedro de Moel

            O Casino de S. Pedro de Moel, inaugurado em 1931, foi ponto de encontro de residentes e veraneantes. Centro de actividades culturais e recreativas, nele se apresentaram espectáculos musicais, teatro, cinema, etc.
            Em 1966, para permitir a construção dos acessos às piscinas da Promoel, a construção de instalações sanitárias e balneários, e do café da praia, o Casino foi demolido.

O Casino - Ano de 1935

A esplanada do Casino - Anos 30 do séc. XX

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

S. Pedro de Moel

            Uma das mais famosas estâncias balneares da região, S. Pedro de Moel, esteve sob administração das Matas Nacionais até 1926, altura em que passou para a administração da Câmara Municipal da Marinha Grande.



quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Bernardino Barros Gomes

         Nasceu em Lisboa, no dia 30 de Setembro de 1839.
         Bacharel em Matemática e licenciado em Filosofia pela Universidade de Coimbra em 1860, partiu nesse mesmo ano para a Alemanha, onde frequentou a Academia Florestal de Tharandt, cujo curso concluiu em 1862. No ano seguinte regressou a Portugal e ficou adido à Repartição de Agricultura. Veio para a Marinha Grande em 1866 para elaborar a planta cadastral do Pinhal, sendo nomeado Administrador das Matas. A reforma do regulamento do serviço das Matas Nacionais, em 1872, dividiu o país em 3 divisões florestais: Bernardino Barros Gomes foi nomeado Chefe da Divisão do Norte até 1874. De 1874 a 1879 foi Chefe da Divisão Florestal do Sul, terminando as suas funções como Chefe da Divisão Florestal do Centro, de 1879 a 1883.
          Na sequência dessa reforma foi elaborado o ordenamento geral das matas do sul e do Pinhal de Leiria, ambas apresentadas por Bernardino Barros Gomes. De facto, foi este engenheiro florestal quem iniciou os Ordenamentos (trabalho que se elabora de 10 em 10 anos e tem por fim programar todo o desenvolvimento do Pinhal, dando a conhecer também a sua situação geral), com a criação de talhões, aceiros e arrifes que serviam não só como caminhos mas como verdadeiras linhas de fogo. Foi Bernardino Barros Gomes quem propôs a construção das primeiras estradas: Marinha Grande – S. Pedro de Moel, e Marinha Grande – Vieira de Leiria, além das estradas no próprio Pinhal. A ele também se deve o levantamento com rigor da primeira planta do Pinhal, a criação da primeira escrituração técnica, a construção dos primeiros pontos de vigia contra incêndios e instalação dos primeiros postos de meteorologia. Procedeu igualmente a vários estudos sobre sementeiras e resinagem. O profundo conhecimento que tinha de todas as regiões do país, ao nível florestal e agrário, permitiu-lhe apresentar a primeira divisão regional de Portugal com base nas características naturais, reconhecendo pela primeira vez as espécies do género Quercus como as árvores dominantes na paisagem portuguesa. Das “Cartas Elementares de Portugal”, publicadas em 1878, foi feita uma reedição em 1990 dada a sua importância para a história da geografia em Portugal. São de sua autoria trabalhos como “Levantamento rigoroso da planta do Pinhal de Leiria “, em 1866, e “Relatório da Comissão nomeada para estudar a influencia da resinagem no Pinhal de Leiria”, de 1881.
          Nas palavras de Arala Pinto, Bernardino Barros Gomes foi o primeiro apóstolo da exploração técnica da floresta, um homem inteiramente dedicado ao trabalho, tenaz e afável. Pontual na chegada ao local de trabalho, dormia por vezes nas casas de guarda para não perder tempo nas deslocações, e partilhava as refeições dos subordinados.
          Em 1879 enviuvou e pediu a exoneração do cargo. Entrou na Congregação da Missão, sendo ordenado presbítero em 1888, no Convento de Arroios, em Lisboa. Foi aí que no dia 4 de Outubro de 1910, uma bala perdida o atingiu mortalmente.


IN: http://www.afn.min-agricultura.pt/portal

Patente de 10 a 27 de Março de 2011 na exposição "Factos e Personalidades do Pinhal do Rei", na Galeria Municipal da Marinha Grande – Edifício dos Arcos (Jardim Stephens)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...