Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2011

O Comboio de Lata

O escoamento para o exterior dos produtos do Pinhal foi, no século XIX, até cerca de 1885, feito com recurso ao Comboio Americano, de tracção animal, que fazia a ligação entre Pedreanes e o porto de São Martinho do Porto, numa extensão de 36 km, passando em frente da Real Fábrica de Vidros e do Edifício da Fábrica de Resinagem.
Em 1885, com o início da construção da linha de caminho-de-ferro do Oeste que aproveitou parte do traçado da linha do Comboio Americano e com a chegada, em 1888, à Marinha Grande dos comboios a vapor, o Comboio Americano foi desactivado, passando o escoamento dos produtos do Pinhal a ser feito através da nova linha de caminho-de-ferro do Oeste.
No entanto, prevalecia o problema dos transportes dentro da Mata e entre Pedreanes e a estação dos caminhos-de-ferro.
A rede de estradas era diminuta e os caminhos existentes tinham pouca resistência aos pesados carros puxados por bois, carregados de lenha e grandes toros.
Este problema foi resolvido com a introdução de outr…

Parque Florestal do Engenho

Neste parque funcionaram vários serviços do Pinhal, fornos de destilação de resinosos, engenho de serração de madeira movido a vento, serrações mecânicas, uma capela, cavalariças, escola de guardas florestais, o Grémio Florestal, a Cooperativa Florestal, viveiros e campos de estudos botânicos, parque de viaturas de tracção animal e repartições administrativas. No tempo do Marquês de Pombal, para protecção do engenho de serrar movido a vento, este recinto, com uma área de 25 165 m², foi murado. O engenho, completamente construído em madeira, foi montado em 1723 sob direcção de engenheiros holandeses e funcionou até 1774, altura em que, devido ao atrito, se incendiou, sendo inviável a sua recuperação. Esta máquina (o engenho) acabou por dar o nome ao parque e à pequena povoação que ia nascendo à sua volta.
Parque do Engenho - Início do séc. XX

Parque do Engenho - Ano de 1917
Parque do Engenho - Ano de 1925

Mapa dos Pinhais de S. Majestade e S. Alteza do Concelho de Leiria e Universidade de Coimbra

Este mapa foi elaborado em 1769, sob direcção do Tenente Coronel Guilherme Elsden, por Maximiano José da Serra. Tratou-se de um complemento, sobretudo sob o aspecto toponímico, ao anterior “Mappa dos Pinhaes de S. Mag.de e da Universidade de Coimbra; da Caza do Infantado, e do Conselho de Leyria”, de 1765, não tendo, porém, sido reproduzidas as quatro panorâmicas desse mesmo mapa.

Frederico Luiz Guilherme de Varnhagen

Nasceu em Arolsen, principado de Walde, Alemanha, em 1782. Veio para Portugal nos primeiros anos do séc. XIX, a convite do então príncipe D. João, para organizar cientificamente os Serviços da Mineração de Ferro. Foi nomeado director das Fundições da Foz de Alge, onde se iniciava o fabrico de cutelarias, espingardas e peças de artilharia.
Em Outubro de 1810 seguiu para o Brasil, onde se encontrava D. João VI e a Corte portuguesa na sequência das invasões napoleónicas, incumbido de proceder a levantamentos topográficos e estudos de mineração.
Regressou a Portugal 14 anos depois e foi colocado na Marinha Grande, como o primeiro Administrador Geral das Matas do Reino, nomeado por Portaria de 17 de Setembro de 1824, data em que foi criada esta Administração e seu Regulamento, no âmbito do Ministério da Marinha. Apesar de ter sido em 1824 que se concluiu o bonito prédio para a Administração do Pinhal e residência do Administrador Geral, Varnhagen preferiu viver dentro do Pinhal, no sítio da …