domingo, 9 de abril de 2017

Futebol no Pinhal do Rei

            Ao longo dos tempos, particularmente a partir de finais do século XIX, têm sido inúmeras as cedências de parcelas de terreno do Pinhal do Rei para as mais diversas utilizações.
            De facto, o desenvolvimento do concelho da Marinha Grande, nomeadamente as povoações de Vieira de Leiria, Praia da Vieira e S. Pedro de Moel, cercadas pela grande Mata, levou a que grandes parcelas de terreno do Pinhal fossem cedidas ao concelho da Marinha Grande para o imprescindível crescimento destas povoações. Destes terrenos, alguns foram cedidos para agricultura, outros para urbanização e construção de habitações e outros, por necessidades cada vez maiores dos povoados, para as mais diversas utilizações, desde escolas, mercados, parques de campismo, depósitos de água, uma ETAR (S. Pedro de Moel), etc.
            Para além da cedência de terrenos junto às referidas povoações, a pedido das mais diversas instituições, houve também algumas parcelas cedidas no interior do próprio Pinhal. Foram disso exemplos os terrenos cedidos para instalação de captações e depósitos de água, lixeira (deveria ter sido aterro sanitário), antenas de telecomunicações (telemóveis) e até um observatório astronómico. Mas houve mais, como foi o caso dos terrenos cedidos ou autorizações dadas para construção de estruturas desportivas: ciclovias, percursos pedestres, campos de treino para caça, ou campos de futebol.
            E é sobre um campo de futebol o propósito deste comentário.
            Existe na praia da Vieira, no talhão 1 do Pinhal do Rei, à esquerda do “Ramal da Praia”, estrada que liga a Vieira de Leiria à Praia da Vieira, um campo de futebol abandonado. Não é intenção dizer aqui algo sobre essa situação de abandono, mas sim apenas elucidar como aparece no meio do Pinhal um campo de futebol.
            Foi no longínquo ano de 1923 que a direcção do Grupo de Foot-Ball Operário Vieirense apresentou à Direcção Geral dos Serviços Florestais um pedido para cedência do terreno e autorização para instalação do seu campo de futebol. O pedido viria a ser aprovado mediante um protocolo assinado entre as duas entidades. Estabeleceu-se, assim, o arrendamento do terreno por uma quantia de 15 escudos por ano, construindo-se então o campo de futebol.
            Porém, algum tempo depois, o Grupo de Foot-Ball Operário Vieirense viria a ser extinto, voltando o terreno à posse administrativa dos Serviços Florestais.
            Ora, em 1934, mantendo-se instalado o campo de jogos, foi cedido o direito de uso ao Grupo Desportivo da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vieira de Leiria.
            A cessão foi feita por decreto-lei em Setembro de 1934, sendo lavrado o auto em Dezembro de 1944 na Repartição de Finanças da Marinha Grande.
            Actualmente este campo de jogos encontra-se desactivado. Por isso, conforme pode ler-se no Plano de Gestão Florestal – Mata Nacional de Leiria, «(…) o campo não se encontra a desempenhar a função para a qual foi criado, tendo novamente revertido a sua gestão para a UGF (Unidade de Gestão Florestal do Centro Litoral).

Vista geral do campo de jogos

Baliza (sul)

Edifício de apoio

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...