quarta-feira, 29 de abril de 2015

Os enxertados do Pinhal do Rei

            Existem no talhão 185 do Pinhal do Rei, contíguo a sul ao Aceiro K, alguns curiosos e estranhos pinheiros bravos, resultantes de uma experiência de enxertia outrora feita neste talhão.
            Os objectivos concretos e os autores de tal experiência são desconhecidos, já o resultado está bem visível.
            Consultando o Plano de Gestão Florestal da Mata Nacional de Leiria/Pinhal do Rei, elaborado em 2010, constatamos que este talhão (parcela A) tinha, à data, uma idade de 37 anos, o que remete o nascedio para 1973, altura em que ainda se usava a sementeira artificial, feita dentro dos dois anos seguintes ao corte final.
            Ora, crê-se que, algum tempo depois, alguém, por razões desconhecidas, executou a referida experiência, enxertando em pinheiros novos, por cima, ramos de outros pinheiros.
            O resultado, visto hoje em dia, é que a parte original do tronco do novo pinheiro, que actualmente varia, entre exemplares, entre 0.5 e 1 metros de altura, apresenta uma casca (carrasca) normal, espessa, de cor castanha avermelhada e profundamente fissurada, enquanto, a parte enxertada apresenta uma casca fina, quase sem casca, típico dos ramos altos do pinheiro bravo, com os quais se fez a enxertia.
            Estes pinheiros apresentam também um fuste bastante direito.


Pinheiros enxertados

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...