terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

O Comboio Americano

             O Comboio Americano foi construído por proposta do Administrador Geral das Matas, Porfírio António Caminha, cerca do ano de 1856, conforme projecto do Eng.º Joaquim Simões Margiochi. Na sua construção trabalharam muitos operários vidreiros, por a Real Fábrica dos Vidros se encontrar fechada por falta de arrendatário.
            Foi construído inicialmente com carris de madeira mas, em 1861, com a renovação ordenada pelo Ministro das Obras Públicas o Duque de Loulé, estes foram substituídos por carris de ferro, importados de Inglaterra juntamente com material rolante, permitindo assim um melhor deslize. Fazia a ligação entre Pedreanes, na Marinha Grande, e São Martinho do Porto, numa extensão de 36 km, passando em frente da Real Fábrica dos Vidros e do Edifício da Resinagem. Para São Martinho transportava os produtos do Pinhal, para embarque com destino aos estaleiros de Lisboa, e de retorno trazia, da Martingança, areia e calcário para a Real Fábrica dos Vidros e pedra e cal para construção de estradas e do Edifício da Fábrica da Resinagem.
            O comboio, de tracção animal, constituído por nove vagões de carga, transportando cada um cerca de 4 500 kg, e um de passageiros, era puxado por bois nas subidas enquanto nas descidas o seu próprio peso o fazia deslocar velozmente.
            Para além das principais estações, Pedreanes e S. Martinho do Porto, havia também estações de muda onde o gado descansava.
            Este comboio fazia normalmente 2 viagens semanais de ida e volta. Demorava de Pedreanes a S. Martinho do Porto cerca de 8 horas e no sentido inverso cerca de 6 horas. Deixou de pertencer à Administração das Matas em 1866, passando a pertencer à Direcção das Obras Públicas do Distrito de Leiria.
             Em 1885, com o início da construção da Linha de caminho-de-ferro do Oeste que aproveitou parte do traçado existente e a chegada em 1888 à Marinha Grande dos comboios a vapor, o Comboio Americano foi desactivado.
            Depois de desactivado, o traçado da linha deste comboio, junto ao centro da Marinha Grande, manteve-se até aos primeiros anos do Séc. XX, sendo visível em várias fotografias da época.
            Ainda hoje existe em Pedreanes a antiga estação deste primitivo comboio.

 Linha do Comboio Americano junto à Fábrica dos Vidros - Início do Séc. XX

 
Linha do Comboio Americano junto ao Edifício da Resinagem - Início do Séc. XX

Estação do Comboio Americano em Pedreanes em 1937

 Estação do Comboio Americano em Pedreanes

Porta principal da Estação do Comboio Americano

1 comentário:

  1. Adoro estas reminiscências!! Tão importante conhecermos a histórias das coisas e dos tempos!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...